PARA VOCÊ

Seu blog com temas de interesse do CORRETOR DE IMÓVEIS

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Dicas para o CORRETOR

A hora e a vez do...



Pensamento do dia 
"Existem três tipos de pessoas. As que fazem acontecer, as que ficam vendo  acontecer e as que se perguntam: O que aconteceu?"




Contrato de Compra e Venda



Os aspectos principais e obrigatórios de um contrato de Compra e Venda, são:  conhecer e entender as cláusulas. 
Elaborar as cláusulas é de  suma importancia. Elas vão garantir  e obrigar, tanto o comprador como o vendedor no desenrolar da operação compra/venda. 
Cumprir e exigir é tarefa das clásulas em relação às partes envolvidas e  devem ser claras e objetivas para que os interesses das partes sejam resguardados em situações adversas.
Os dados pessoais do comprador e vendedor, como nome, nacionalidade, estado civil, profissão, CPF, RG e endereço da residência, devem ser observados e conferidos.
A identificação e descrição detalhada e precisa do imóvel (objeto) devem constar do contrato e ser idênticas àquelas constantes na matrícula, ou seja, no registro legal do imóvel.


Clausulas indispensaveis: 
  • Especificando sobre  consequências acarretadas ao  descumprimento de  cláusulas;
  • Sobre o valor e  pagamento, quando for parcelado, as datas dos vencimentos das parcelas e como receberá o valor (Ex.:transferencia bancária; cheque administrativo, etc), devem ser descriminados;
  • Havendo inquilinos,  especificação da data exata da desocupação do imóvel;
  • Que tenha esclarecimentos  sobre dívida adquirida antes da entrega das chaves - responsabilidade do vendedor;
  • Fechando as clausulas, a "penal"- onde consta deveres e obrigações de ambas as partes e o valor a ser pago no caso de algum descomprimento das partes envolvidas.  



O objetivo principal do Contrato de Compra e Venda é  de "registrar juridicamente" os deveres e garantias das partes envolvidas. As consequências são para o Vendedor, o recebimento do valor e para o Comprador, a posse do imóvel. 

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Entrevista



Entrevistado: Sr. Rodrigo Barreto



Perguntas:
         i.            O senhor escreve para sites como o Redimob e o Marketing e Publicidade Imobiliária. Isto significa que possui um grande interesse e conhecimento sobre o mercado imobiliário. O senhor poderia fazer um resumo da situação atual desse mercado no Distrito Federal?
R: Após o receio da tão temida bolha imobiliária, especulações constantes de pseudos investidores, a expectativa da construção do novo bairro, Setor Noroeste, que também ajudou a elevar os preços de muitas unidades habitacionais, o mercado vem se estabilizando e mostrando uma readequação nos preços dos imóveis. Não houve queda no valor dos bens imóveis. Para que possamos entender melhor, uma coisa é valor de anúncio, outra é o valor real de venda. Alguns valores de anúncios estavam fora da realidade, o que assustava um pouco os consumidores. O que entendo, de forma bem resumida, é que isso tudo traduz a máxima da lei da oferta e demanda. Como a procura por imóveis diminuiu os proprietários passaram a perceber que teriam que reajustar o valor de venda das suas propriedades para poder comprar um novo imóvel, que também teria que ser negociado com o novo vendedor. O mercado está passando por uma readaptação. Assim, vejo que este é um momento oportuno para quem deseja adquirir a primeira ou uma nova moradia. É uma excelente ocasião para negociar.
       ii.            Qual o perfil de CORRETOR o senhor considera estar sendo exigido por esse mercado?
R: Existem vários perfis de Corretores de Imóveis. Mas, sem sombra de dúvida, o mercado está exigindo e, ao mesmo tempo, carente de profissionais mais qualificados, seja para atender aos desejos das imobiliárias quanto para atender os anseios dos clientes compradores e vendedores. O profissional não pode perder tempo. Aquele que mais rápido se preparar sairá na frente e terá mais oportunidades. Fazer cursos constantes de aperfeiçoamento sobre Direito Imobiliário, Avaliação, Captação de Imóveis, Obrigações e responsabilidades profissionais, Marketing Imobiliário, Técnicas de venda, Elaboração de Contratos, etc. Ter sucesso no mercado imobiliário, ainda mais nos dias atuais, depende da qualificação. Os clientes e empresas estão cada vez mais exigentes. A exigência é por profissionais qualificados e dinâmicos, com potencial de gerar negócios.
      iii.            No seu livro – Captação de Imóveis: os segredos que você precisa saber – o senhor expõe estratégias eficientes para a captação de imóveis. As imobiliárias têm políticas específicas para incentivar essa atividade?
R: Existem algumas imobiliárias que se preocupam com isso. Mas a maioria não pensa em incentivar os Corretores nesse sentido. E falo em incentivo na sua forma tangível. Eu, por exemplo, fui incentivado a captar imóveis a partir do momento em que a Rede Brasília de Imóveis lançou um incentivo: quem captasse mais imóveis em um determinado período levaria para casa uma televisão de plasma de 32". Pode parecer muito pouco se colocado de forma monetária. Mas esse foi um incentivo, pois queria ganhar o prêmio para presentear um parente. Mas o resultado foi mais gratificante do que apenas ganhar o prêmio. Pois a motivação me fez conseguir atingir a marca de trazer 31 imóveis para a carteira da imobiliária em 28 dias. Além disso eu acordei para uma realidade: captação de imóveis é algo que pode agregar muito valor ao profissional. Passei a ser desejado por muitas empresas do setor. Eu já não mais procurava uma imobiliária para trabalhar. Constantemente recebia convites de imobiliárias, inclusive ofereciam-me uma renda fixa. O profissional que foca em captação é um dos responsáveis por buscar o produto principal de venda das imobiliárias. Quanto mais imóveis a imobiliária possui, maiores são as chances de realizações de negócios.
     iv.            Nem sempre o captador é o CORRETOR responsável final pela venda ou locação. Nesse caso qual é o percentual que cabe ao captador?
R: O percentual destinado ao captador varia de imobiliária para imobiliária. Normalmente as imobiliárias pagam entre 22% e 25% do valor do honorário da venda do bem imóvel. Por outro lado, o percentual pago pela venda varia de 20% a 22%.
Alguns colegas defendem que o percentual de captação deve ser o mesmo do aplicado na venda. Só que, com opinião estritamente particular, entendo que são funções distintas e, além disso, a captação é uma função em que muitos não têm habilidade, tornando o grau de dificuldade maior do que o da venda. Por isso entendo que os valores não podem ser igualitários.
       v.            Os CORRETORES de imóveis têm várias demandas legais relacionadas ao exercício da profissão. Existe uma organização com características político-partidária comprometida com a defesa dessas demandas?
R: Em alguns Estados brasileiros existem grupos e união dos profissionais do setor nesse sentido. No Distrito Federal estamos entre as mais numerosas categorias profissionais, com homens e mulheres, que formam opiniões e realizam sonhos, porem,  ainda desmobilizados e não representados.  Os profissionais e empresários do mercado imobiliário estão muito carentes de representatividade política. As demandas são variadas e necessitamos de uma pessoa, Corretor de Imóveis, que entenda os reais problemas existentes. O momento é oportuno e temos força para fazermos um representante que venha a defender não somente os interesses de toda a sociedade, mas também dos profissionais que atuam no setor de imóveis.
     vi.            A seu ver qual seria a agenda principal de uma pessoa comprometida com a defesa dos interesses dos CORRETORES de imóveis na arena política?
R: O que devemos entender é que nós Corretores não somos um profissional que escolheu essa profissão por falta de escolha ou oportunidades. A nossa profissão tem fundamental importância junto a sociedade. Somos nós quem ajudamos a construir novas cidades, bairros e auxilia as famílias a conquistarem um dos seus maiores sonhos: a conquista da casa própria. Temos várias necessidades; essas necessidades vão desde geração de cargos públicos para profissionais com conhecimento específico em corretagem imobiliária, principalmente nas agências creditícias. O Corretor é o profissional responsável pela avaliação mercadológica do bem Imóvel, para venda ou locação. E, sem desmerecer, os Arquitetos e Engenheiros, mas estes entendem de custos de edificação. Assim, sou favorável que sejam criadas vagas destinadas aos Corretores, por meio de concurso público, em diversos órgãos públicos. Precisamos aprovar projetos para que o nome e o número de registro no CRECI do Corretor de Imóveis seja gravado na escritura pública. Isenção de ICMS, para aquisição de veículos novos, pois trata-se de ferramenta fundamental e indispensável para atuação profissional. Nós Carecemos de espaços públicos, de forma regularizada, para a realização dos nossos trabalhos diários, para fixar propagandas e stands de forma temporária; Queremos agilidade nas licenças e nas cartas de habite-se. Enfim, são inúmeros apontamentos que poderia discorrer aqui. São muitas ideias e desejos tanto nas áreas federais quanto nas esferas estaduais ou distrital. Mas nesse primeiro momento faz-se necessário a conscientização da união da nossa classe em prol do crescimento e valorização da nossa profissão.
Perfil do entrevistado:
Corretor de Imóveis, Diretor Comercial na Baroli Imóveis, Membro: NAR of Realtors® USA (Corretor de Imóveis Internacional), Administrador de Empresas e habilitado em Marketing (Nível Superior). Possui artigos publicados na Revista Plano Brasília, Redimob (Rede social do mercado imobiliário), nos sites do Sindimóveis e CRECIs do mercado imobiliário brasileiro. É, ainda, Colunista do site Marketing e Publicidade Imobiliária. Foi premiado pela Rede Brasília de Imóveis, no ano de 2010, por ter captado 31 imóveis em 28 dias. Em 2013 recebeu o Prêmio Colibri, considerado o Oscar do ramo imobiliário, na categoria corretor revelação. Também, em 2013, publicou seu primeiro livro Captação de Imóveis - Tudo o que você precisa saber para captar imóveis. Ministra palestra com base no livro recém-lançado, apresentando passo a passo como fez para ter sucesso em captação de imóveis.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Dicionário do CORRETOR


Pensamento do dia 
"O nome do tempo atual em que vivemos
 faz jus ao seu valor em todos os sentidos:  PRESENTE."




Compromisso de Compra e Venda



Uma "Promessa" ou um "Pré-Contrato".
É uma forma do vendedor (proprietário do imóvel) e do comprador (cliente) demonstrarem o interesse mútuo na realização do negócio. Assim, o Compromisso de compra e venda é uma garantia de que as partes se comprometem a realizar todos os trâmites legais para a assinatura do Contrato de compra e venda.   Assista ao video: 








quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Dicionário do CORRETOR

Definição de Termos Imobiliários -Fundos Imobiliários-



Pensamento do dia 
"Reze como se tudo dependesse de Deus e trabalhe como se tudo dependesse de você".





Fundos Imobiliários


Conjunto de diferentes investidores, podendo ser pessoa fisica ou juridica, que se unem para adquirir um determinado imóvel. O valor do imóvel é dividido em cotas fechadas que são ofertadas através das bolsas de valores ou no mercado de balcão, e adquiridas pelos investidores. Estas cotas deverão ser registradas na CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Os valores arrecadados com a venda das cotas formam, assim, o Fundo Imobiliário. O dinheiro do Fundo será administrado por uma instituição financeira que por sua vez, será fiscalizada pela CVM. Com a aquisição do imóvel pelo Fundo Imobiliário os investidores, proprietários das cotas, passarão a receber os rendimentos proporcionais ao valor de cada cota, advindos da valorização do imóvel, da comercialização das suas unidades, etc. 

Para pequenos investidores que procuram um investimentos a longo prazo, o Fundo Imobiliário é uma boa opção, pois o valor total do imóvel está dividido em cotas. Cada cota, pode ainda ser dividida e oferecida a outros interessados, pelos investidores.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Definição de Termos imobiliários




Pensamento do dia
"Não considere nenhuma prática como imutável. Mude e esteja pronto a mudar novamente. Não aceite verdades eternas. Experimente."



Valor Venal

"O valor venal é uma estimativa que o Poder Público realiza sobre o preço de determinados bens. Sua finalidade principal é servir como base de cálculo de certos impostos e, em alguns casos, de emolumentos judicias/administrativos. Para sua quantificação são utilizados critérios objetivos estabelecidos em lei que variam segundo o tempo e o lugar em que o bem se encontra, e segundo o seu gênero e espécie".
http://pt.wikipedia.org/wiki/Valor_venal

O valor Venal é fixado contabilizando o gasto com a construção do imóvel e o valor estimado do terreno. É um valor aplicado pelas prefeituras, sendo esse valor o responsável pela aplicação do imposto. Nesse valor é desconsiderado a valorização ou desvalorização do imóvel no mercado. Por não levar em consideração  a valorização,  normalmente o "valor venal" é muito abaixo do mercado imobiliário.


Podemos dizer também que o valor venal é calculado levando em conta o preço que a unidade imobiliária alcançaria em uma operação de compra e venda simples, considerando a função da área da edificação, as características do imóvel (idade, posição, tipologia), sua utilização (residencial ou não) e seu respectivo valor unitário padrão (valor do metro quadrado dos imóveis no logradouro).